Sicredi

Jornalista que denunciou Dia do Fogo no Pará nasceu em Medianeira

Postada em: 04/09/2019 Atualizada em: 04/09/2019 16:13:23 Número de visualizações 382 visualizações
LinkedIn whatsapp
Jornalista que denunciou Dia do Fogo no Pará nasceu em Medianeira

Dono de um pequeno jornal que circula quinzenalmente em Novo Progresso, município de 27 mil habitantes às margens da BR-163, no Pará, o jornalista Adécio Piran, de 56 anos, foi quem denunciou que produtores rurais locais haviam organizado o Dia do Fogo.

O jornalista, que hoje sofre ameaças de morte e difamações em panfletos distribuídos nas ruas com sua imagem, nasceu aqui no Oeste do Paraná, na cidade de Medianeira. Há cerca de 30 anos que ele mudou para o Pará e há 22 anos abrir seu próprio jornal em Novo Progresso, um dos municípios recordistas em queimadas e que tem um passado histórico de conflito entre índios, garimpeiros, madeireiros e produtores rurais.

A sua vida na cidade mudou depois que ele publicou uma matéria anunciando a movimentação que estava ocorrendo para o "Dia do Fogo", quando Novo Progresso registrou um aumento de 300% no número de incêndios, na comparação com o dia anterior. Essa divulgação ganhou proporções nacionais e internacionais.

No último domingo (1), a ABI (Associação Brasileira de Imprensa) enviou uma carta ao governador do Pará, Helder Barbalho, pedindo proteção ao jornalista. Na segunda-feira (2) retomou a rotina de trabalho, mas acompanhado de escolta da Polícia Militar.



Fonte: Guia Medianeira (As informações são da Folha de S.Paulo / Foto: Arquivo Pessoal)

Compartilhe:
LinkedIn whatsapp