Cleiton Motos

Polícia Civil de Missal tem lista de suspeitos nos crimes de furtos de gado

Postada em: 13/01/2020 Atualizada em: 13/01/2020 17:53:13 Número de visualizações 1190 visualizações
LinkedIn whatsapp
Polícia Civil de Missal tem lista de suspeitos nos crimes de furtos de gado

A Polícia Civil de Missal tem uma lista de suspeitos nos crimes de furtos de gado. Mas, a falta de provas contundentes e testemunhas dificultam o trabalho de investigação. Furtos de animais em Missal e região sempre aconteceram devido à área rural ser extensa. Nos últimos meses a prática tem sido constante e preocupado produtores do município.

No mês de novembro dois bois foram furtados em uma comunidade. Na mesma ocorrência a Polícia Militar localizou restos de outro animal. Os ladrões agiram com crueldade e esquartejaram os animais que tiveram partes arrancadas.

Outra ocorrência foi registrada neste final de semana onde na Linha São João duas novilhas, uma delas prenha, também foram esquartejadas.

A Polícia Civil de Missal está trabalhando nos casos “temos uma lista de indivíduos suspeitos, mas temos que procurar as provas contundentes. É um crime difícil de elucidar e as denúncias são poucas”, disse em entrevista ao Costa Oeste News, o investigador da Delegacia da Polícia Civil de Missal, Dr. Clodoaldo Krnev.

Os crimes são com modos operantes muito parecidos, onde os criminosos agem no período da noite, abatem o animal para retirada da carne e deixam os restos no local. Segundo o investigador, há uma linha nas investigações de que essas carnes possam estar sendo levadas para outros municípios.

As ações das forças policiais para tentar inibir esses crimes são intensificando o trabalho de ronda noturna, abordando veículos suspeitos e fiscalizando juntamente com órgãos da prefeitura e Vigilância Sanitária os abatedouros. No Mês de novembro a Polícia Civil fechou um abate clandestino em Missal.

A Polícia Civil e Militar disponibilizam um número para denúncias, 3244-1337 e 98800-3330, respectivamente.

Fonte: Costa Oeste News com inf. Portal Missal

Compartilhe:
LinkedIn whatsapp