GA Corretor de Imóveis

Ministério Público recomenda suspensão de Concurso Público em Itaipulândia

Postada em: 24/07/2019 Atualizada em: 24/07/2019 20:44:36 Número de visualizações 552 visualizações
LinkedIn whatsapp
Ministério Público recomenda suspensão de Concurso Público em Itaipulândia

A realização das provas práticas para algumas funções que estavam marcadas para o dia 28 de julho também foram suspensas


A Administração Municipal de Itaipulândia, atendendo recomendação do Ministério Público, suspendeu o concurso público realizado no último dia 14.

A recomendação administrativa, expedida através do Oficio 361/2019 da primeira Promotoria de Justiça Estadual da Comarca de São Miguel do Iguaçu/PR, em que recomenda a suspensão do andamento do Concurso Público n° 001/2019, inclusive abster-se de realizar as provas marcadas para o dia 28 de julho de 2019.

De acordo com decisão da Administração Municipal a recomendação se funda, em razão de denúncias realizadas junto a Promotoria de Justiça no que tange a lisura do certame, que em conjunto com outros fatos, entendeu-se por bem acatar a recomendação.

Baseado nesta recomendação e buscando a lisura e a transparência nos atos praticados pela administração municipal, uma vez que foi realizado processo licitatório contratando empresa especializada para a realização do concurso público, a prefeita Cleide Prates determinou que fosse imediatamente comunicado à comissão nomeada pela Portaria n°348/2019, bem como a Empresa Responsável pela Realização do certame a presente decisão, bem como adote as medidas necessárias para levar a conhecimento dos candidatos a suspensão do presente Concurso Público. Determina ainda que a comissão faça diligências sobre a veracidade das denúncias existentes, e no prazo de 15 (quinze) dias corridos, apresente relatório conclusivo a esse Executivo Municipal.

Portanto, está suspenso o concurso público realizado no dia 14 de julho, bem como a realização das provas práticas para algumas funções que estavam marcadas para o dia 28 de julho.



Fonte: Correio do Lago

Compartilhe:
LinkedIn whatsapp