Sicredi
Lista Telefônica
Imagem de telefone

Compra de arroz importado pode demandar R$ 4 bilhões

Postada em: 09/05/2024 Atualizada em: 11/05/2024 11:13:11 Número de visualizações 353 visualizações
LinkedIn whatsapp
Compra de arroz importado pode demandar R$ 4 bilhões

Elaboração da medida provisória que autorizará a compra deve ser concluída nesta quinta-feira



A operação de compra de até 1 milhão de toneladas de arroz beneficiado e empacotado de países vizinhos do Brasil pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) pode demandar cerca de R$ 4 bilhões de orçamento extra, apurou a reportagem.

Os recursos deverão ser disponibilizados a partir de abertura de crédito extraordinário, que poderá ser previsto na mesma medida provisória que autorizará a compra do arroz pela estatal. A previsão de técnicos do governo é que a elaboração do texto seja concluída nesta quinta-feira (9/5).


Ainda não foi batido o martelo sobre a destinação dos R$ 4 bilhões, o que depende de negociações com o Palácio do Planalto e a equipe econômica. Uma fonte disse que o valor está em linha com as cotações de arroz beneficiado, de US$ 700 por tonelada, mais os custos com porto e frete. Em abril, a saca de 60 quilos de arroz tipo 1 estava precificada em torno de R$ 230.


A ideia é que a Conab lance editais para a compra de arroz importado de Argentina, Uruguai, Paraguai e Bolívia em operações semelhantes aos leilões de Prêmio para Escoamento de Produto (Pep) e Prêmio Equalizador Pago ao Produtor Rural (Pepro), com regras para comprovação de que o produto veio de fora do Brasil.



O primeiro lote será de 200 mil toneladas do cereal beneficiado e empacotado. A Conab quer vender o produto a um custo mais baixo, semelhante ao que é feito na Venda em Balcão. Essa comercialização deverá ser realizada nas regiões metropolitanas e periferias de cidades do Norte, Nordeste e Sudeste. As regiões Sul e Centro-Oeste, onde há produção de arroz, não seriam incluídas para não atrapalhar a atividade local.

O setor produtivo nacional reclamou da decisão do governo de importar arroz. Nessa quarta-feira (8/5), o Instituto Rio-Grandense do Arroz (Irga) divulgou as novas estimativas para a safra gaúcha, que deverá ser semelhante à do ano passado. A colheita está estimada em 7,1 milhões de toneladas. Por ora, as chuvas destruíram 23 mil hectares do cereal irrigado que ainda seria colhido.


No governo federal, a avaliação é que não deve faltar arroz, mas que a situação de calamidade no Rio Grande do Sul pode gerar especulações no mercado e alta nos preços aos consumidores. Há ainda uma preocupação com o cereal que já foi colhido e está armazenado. Parte desse volume foi atingido pelas águas e ainda não é possível quantificar as perdas. A produção que está em boas condições vai enfrentar dificuldades logísticas para escoamento e abastecimentos dos centros de consumo.

Fonte: Globo Rural/ foto: Canva

Compartilhe:
LinkedIn whatsapp