Platz

Museu Municipal é reinaugurado em Missal

Postada em: 26/07/2021 Atualizada em: 29/07/2021 14:59:02 Número de visualizações 525 visualizações
LinkedIn whatsapp
Museu Municipal é reinaugurado em Missal

Alusivo as festividades de 58 anos de Fundação de Missal, no sábado, 24 de julho, foi reinaugurado o Museu Municipal que passou por algumas reformas. A obra foi simples, de substituição do telhado e o lixamento e pintura do assoalho, no entanto, a simbologia do contexto histórico que o museu representa desde a fundação de Missal foi o mais marcante.

O museu Municipal é mantenedor da história dos colonizadores e pioneiros do Município e a homenagem é prestada através do acervo e ainda despertar nas pessoas interesse pelo museu que é uma força viva dentro da comunidade. Missal tem 38 anos de existência como município, emancipado politicamente e administrativamente, caminhando rumo ao progresso e desenvolvimento.

Mas a história não começa aí, ela tem início há muito mais tempo. É por volta dos anos de 1963 que nasceu Missal e tudo começou com a colonização e a chegada das primeiras famílias, vindo em busca da terra fértil e abençoada por Deus.

Essas famílias chegaram trazendo em seus corações a fé, o sonho e a esperança num futuro promissor, nos braços a força de seu trabalho e na mente a coragem para enfrentar os desafios que encontrariam. E foi com muito trabalho, luta e sacrifício que os pioneiros formaram suas famílias, construíram suas vidas e a história de Missal.

As dificuldades foram enormes, enfrentar a mata e transformá-la em lavoura para produzir o pão de cada dia era uma luta diária. Mas a união de um povo tem o poder de transformar sonhos em realidade. Juntos, construíram a primeira igreja, fundaram a primeira escola, surgiram os primeiros comércios e, então tudo foi caminhando para o progresso.

História do Museu

A professora e historiadora Gisela Lunkes, filha do casal de pioneiros Rosa e Edmundo Schwendler, fez a leitura e um resgate histórico do referido Museu. Gisela é Professora aposentada, autora do livro: Missal tem muito futuro neste passado. E é uma grande idealizadora do Museu Municipal de Missal.

A estrutura física do Museu faz parte da história, pois foi construído pela Sipal Colonizadora LTDA, na década de 1960, a qual tinha por objetivo fazer a venda dos títulos das terras aos colonizadores que vieram aqui se estabelecer e em 25 de julho de 1991 o prédio foi transformado em Museu Municipal, na Administração do Prefeito Laci Deonísio Giehl, com objetivo de preservar e restaurar objetos, utensílios, fotografias, registros  e documentos dos pioneiros.

“Sem dúvida, uma atitude louvável dessa administração, quando constatamos que em muitos municípios, não há incentivo por parte de lideranças e poder público”, descreveu Gisela em seu discurso. “Infelizmente os pioneiros não vivem sempre e muitos objetos e utensílios históricos são descartados, bem como as histórias vividas por pessoas que nos antecederam.  Com suor e muito trabalho conquistaram o espaço que ora desfrutamos”, completa.

Numa ação educativa e ampla participação dos moradores de Missal, montou-se o MUSEU, que recebe doações, conserva e expõe os objetos de caráter histórico e cultural para fins de estudo, pesquisa, educação e entretimento.  A própria construção, reconstruída, remete à Sipal Colonizadora, responsável pela divulgação e venda das terras da Gleba dos Bispos.   

O museu é um espaço destinado à comunidade. Deve estimular a curiosidade do público, repensar sua origem e levar a reflexão. Os pioneiros e visitantes poderão fornecer dados, depoimentos, narrar fatos relevantes, resgatando histórias de famílias, entidades e empresas. “Esse resgate é enriquecedor, pois desta forma o museu adquire importância num contexto social, na medida em que o público toma consciência do seu contexto histórico, artístico e cultural”, reforça Gisela.


“Os museus são casas que guardam e apresentam sonhos, sentimentos, suor, pensamentos e intuições que ganham corpo através de imagens, objetos, cores, sons e formas. Os museus são pontes, portas e janelas que ligam e desligam mundos, tempos, culturas e pessoas diferentes”, poetiza o contexto de importância do espaço. 

Com a consciência de que se deve preservar a memória e a história dos colonizadores, em 2019 o Museu foi remodelado com prateleiras (expositores) para melhor visibilidade do acervo, através de uma parceria com a Rede Regional de Cultura, Conselho dos Lindeiros e Itaipu e este ano de 2021, na atual administração do Prefeito Adilto Luis Ferrari, o museu foi reformado onde foi trocado o telhado, realizada nova pintura, o assoalho lixado e pintado e floreiras, sendo preservada as características originais do mesmo.

Fonte: Assessoria

Compartilhe:
LinkedIn whatsapp