Hospital

02 DE ABRIL DIA MUNDIAL DA CONSCIENTIZAÇÃO DO AUTISMO (TEA)

Postada em: 02/04/2021 Atualizada em: 02/04/2021 11:35:17 Número de visualizações 548 visualizações
LinkedIn whatsapp
02 DE ABRIL DIA MUNDIAL DA CONSCIENTIZAÇÃO DO AUTISMO (TEA)

No Dia 02 de Abril foi instituído pela ONU (2008) o Dia Mundial de Conscientização do Autismo ou como é conhecido Oficialmente Transtorno do Espectro Autista (TEA). 

O QUE É AUTISMO: é um transtorno neurológico e sistêmico do desenvolvimento que afeta: 

- A COMUNICAÇAO;

- A INTERAÇAO SOCIAL

- E O COMPORTAMENTO.

O Transtorno do Espectro Autista é uma condição de vida do indivíduo. Sabe-se que é desencadeado na gravidez no 1º trimestre da gestação, sendo que 95% são de fundo genético com mais de 300 genes envolvidos e 5% de fatores ambientais. 

A prevalência do Transtorno é maior no sexo masculino, á cada 4 meninos Autista nasce 1 Menina com TEA. Esse é o motivo da escolha da cor AZUL para representar o Transtorno juntamente com o símbolo do quebra-cabeça colorido. A ciência avançou muito em relação ao Autismo, mas ainda tem muita incógnita á ser respondida.

Segundo as Estatísticas do CDC (Centro de Controle de Doenças e Prevenção Do EUA - 26 de Março de 2020) a prevalência é de 1 autista para cada 54 nascidos. Esta pesquisa é feita á cada dois anos. 






O estudo destaca que o Transtorno do Espectro do Autismo (TEA) está presente em todos os grupos raciais, étnicos e socioeconômicos Ou seja, esta condição de saúde está em todas as classes, mas só tem o diagnóstico — e, portanto, tem ou busca um tratamento — quem tem acesso a melhores condições sociais. Os demais continuam sem diagnósticos, sem contar nas estatísticas. 

A ONU, através da  Organização Mundial da Saúde (OMS) considera a estimativa de que aproximadamente 1% da população mundial esteja dentro do espectro do autismo, a maioria ainda sem diagnóstico.


O CDC afirma que TEA é uma questão de saúde pública e uma preocupação urgente. É preciso que se tenham estratégias para ajudar a identificar o TEA cada dia mais precocemente e determinar os possíveis fatores de risco. Além disso, é preciso atender as necessidades comportamentais, educacionais, residenciais e ocupacionais para inclusão dessa população. Apesar desse trabalho não ter sido realizado no Brasil podemos afirmar que as necessidades em questão no nosso país são as mesmas.


(Com informações do CDC e da ONG Autism Speaks dos EUA)




No Brasil estima-se que haja 2 milhões de Autistas, mas ainda não temos um censo apesar de ter sido incluído na pesquisa do IBGE com a Lei 13.861/2019 . A coleta do próximo Censo será realizada agora em 2021.

Mesmo que o número mensurado pelo próximo mapeamento do IBGE não corresponda integralmente à realidade, apenas a uma estimativa, a análise desses dados possibilitará traçar um retrato do Brasil para que possamos desenvolver e implementar políticas públicas sobre o tema. 


A probabilidade é que até 2025 se nada for feito á respeito teremos 1 autista á cada 2 nascimento ou seja 50% da população que nascer. Portanto a maioria das pessoas Já entrou ou vai entrar em contado com uma pessoa autista ou ter um autista como colega de trabalho/escola ou na própria família. Por isso há necessidade de divulgação, de esclarecimento para que a sociedade em geral possa promover a inclusão com compreensão e empatia.  

O Transtorno do Espectro autista e suas particularidades

O TEA é um transtorno de amplo Espectro por isso encontramos indivíduos tão únicos, com capacidades subestimadas e com dificuldades ignoradas.

Eles são considerados leves, moderados ou severos de acordo com o grau de comprometimento do Autismo na Vida da pessoa. 

Com relação á capacidade Cognitiva o espectro vai do Retardo Mental á Genialidade.

Gostaríamos de salientar que dentro do quadro do espectro os indivíduos podem apresentar no total deles: 

- 40% possuem algum tipo de atraso mental; 

- 50% possuem QI normal;

- E 10% possuem QI avançado em alguma área especifica de seu agrado. 


Comorbidades: São condições clínicas, doenças associadas ao Transtorno. Quanto maior o número de comorbidades associadas ao individuo autista, mais elevado será seu grau.

Referentes às comorbidades, 80% dos autistas possuem alguma associada, podendo ser:

Comorbidades neurológicas: Epilepsia, convulsão, TOD, TDAH, depressão, distúrbio do sono, etc..

Comorbidades físicas: atraso psicomotor, hipotonia muscular, problemas gastro intestinais, alergias alimentares, seletividade alimentar, alergias respiratórias. Infecções de reincidência: Garganta, Intestino, Sistema Urinário.

O comportamento é consequência da dificuldade de interação e comunicação.

Estereotipias: Muitos perguntam: Por que o Indivíduo Autista faz movimentos Repetitivos, não faz sentido? Resposta: Para se auto-regular. Os Movimentos o ajudam nisso.  A criança se auto-regula procurando autonomia, controle do corpo e regular as expressões.

Portanto se virem um autista girando, gritando, se jogando no chão, tapando os ouvidos, fugindo entre outros comportamentos, tenham empatia ele está em uma crise... Provavelmente sensorial e não sabe como agir. 

Quais as atitudes devemos tomar ao nos depararmos com um autista em uma crise, ou em momentos críticos? 

- Primeiro: RESPEITAR 

- Segundo Observar que estimulo pode estar desregulando á criança/ adulto. (Sons, Luzes, cheiros, texturas).

- Terceiro: Tentar eliminar esse estímulo ou retirar a pessoa para longe dele até que se acalme. 

- Se for estranho não tente conte-lo, apenas Assegure para que não se machuque,

- Se não puder ou não souber como Ajudar, apenas seja empático, não criticando ou julgando. 

- Deixe que os pais/ cuidadores/profissionais contornem a situação, pois eles conhecem o autista e Estudam muito para ajudá-lo. 

- Lembrem-se nem todo Ser Humano é um Autista, mas todo Autista é um ser humano. 

Há muitos tratamentos disponíveis, e também muitas abordagens alternativas, mas o básico e indispensável é que a pessoa receba acompanhamento com Médicos, com psicólogos, fonoaudiólogos e Terapeutas Ocupacionais. Tratamento Medicamentoso quando necessário. Material Escolar Adaptado. Além de muito Amor e carinho. 

Para se conseguir uma boa evolução da pessoa autista é necessária à união entre Família, Escola e os profissionais que o atendem. 











Porque divulgar o autismo?

A Intervenção precoce é um dos principais motivos para divulgação. Quanto mais cedo o diagnostico e o inicio das intervenções a criança terá melhorias no desenvolvimento e aprendizagem avançando em todos os aspectos. Melhorando sua qualidade de vida no geral e dos familiares. Conseguindo mais autonomia. 

Um dos motivos da demora do diagnostico é a falta de conhecimento das pessoas sobre o tema. Percebe-se que existe algo de errado, mas não sabendo como lidar com a criança. 

Para Resolver isso O GRUPO TEAJUDANDO um grupo de Mães de autistas da Região Oeste do Paraná foi criado há 4 anos com intuito de divulgar o TEA, dar apoio aos familiares, tanto emocional, quanto de como agir. Também buscam aperfeiçoamento com cursos e congressos para pais e profissionais.

 Uns dos principais objetivos do grupo é a troca de experiências entre mães, com filhos de todas as idades, em diferentes espectros, de leves aos mais severos, que passam suas vivencias, confiança, acolhimento e dicas sobre medicamentos, quais profissionais procurar, exames, quais os tipos de materiais a família deve montar/fabricar para serem utilizados em casa, etc. 

O Grupo estará promovendo durante todo o mês ações que visem divulgar o autismo para que haja mais diagnóstico precoce e mais inclusão por parte da sociedade. 

Dúvidas entre em contato pelo Facebook ou Instagram:  @grupoteajudando

O conhecimento liberta por isso durante as próximas semanas quando vocês se depararem com folders cartazes, camisetas e totens e Faixas sobre o Autismo deem atenção... Leiam sobre o assunto... Se interessem... Tenham empatia e acolhimento por esse lindo trabalho que está sendo Feito pelo Grupo TEAjudando.



Fonte: Assessoria

Compartilhe:
LinkedIn whatsapp