Sicredi

Respirador fabricado no oeste com o apoio do PTI e Itaipu seguirá para validação na cidade de Recife

Postada em: 02/06/2020 Atualizada em: 02/06/2020 15:53:20 Número de visualizações 219 visualizações
LinkedIn whatsapp

Equipamento pode ajudar no combate à pandemia que assola a capital pernambucana.


Um  protótipo  de respirador fabricado em Marechal Cândido Rondon, no Oeste  do  Paraná,  pela Indústria Schumacher (empresa de desenvolvimento e produção  de  válvulas  pneumáticas),  em  parceria  com  a Fundação Parque Tecnológico  Itaipu  (PTI),  será  testado  na cidade de Recife, capital do estado de Pernambuco (PE), onde os casos de covid-19 explodiram.

A  testagem  do  ventilador  pulmonar  industrial  faz  parte  de uma cooperação técnica de validação do equipamento. Se validado, ele poderá ser utilizado para ajudar no enfrentamento da doença no Recife. O aparelho, que faz  a  regulação  e  o  controle  da  pressão  e volume de ar comprimido e oxigênio,  possui um controlador digital que executa a malha de controle do sistema.

O  número de casos de covid-19 na capital pernambucana passou de 500. Em  função  disso,  o  município está em quarentena e tem tido dificuldades para  obter  respiradores. “O envio do protótipo é uma ação concreta dentro de  uma  série  de  medidas  de  excepcionalidade que estamos adotando para enfrentar  a  pandemia  atual”,  diz  o coordenador do Grupo Estratégico da Covid-19 da Itaipu, coronel Jorge Aureo.

A  validação,  segundo  o diretor técnico do PTI, Rafael Deitos, pode resolver  um gargalo. Com a cooperação, haverá um ganho enorme tanto para o parque  quanto para a Indústria Schumacher e, em especial, para a cidade de Recife.



O que é?

O  equipamento  faz a leitura dos sensores, atuando nas válvulas para obtenção  do  objetivo indicado e configurado no controlador digital. Conta com   válvulas   eletromecânicas  para  ajuste  da  pressão  de  expiração, fluxômetros  para regulação da mistura de ar e oxigênio (blender), sensores para  validação  das  pressões  de  inspiração/expiração e possibilidade de encaixe de filtros antiviral/antibacteriano.


Parceria

O projeto conta com produção nacional de mais de 70% dos componentes.

Em  menos  de  dois  meses,  a parceria resultou no desenvolvimento de três versões  de  protótipo. O foco principal é a melhoria de itens primordiais, como   ajuste   fino,   controle   ajustável   com  redundância,  interface homem-máquina e atendimento de normas para testes certificados.


Validação passa por banca

Todos  os protótipos passaram por testes de validação em bancada e in vivo,  acompanhados  por comitê de ética devidamente constituído. O projeto conta  com  o  acompanhamento  de  equipes médicas e técnicas das seguintes instituições: Centro de Oncologia de Cascavel (PR); Hospital Ministro Costa Cavalcanti (Foz do Iguaçu - PR); Hospital do Trabalhador (Curitiba – PR); e Hospital  Municipal  de Marechal Cândido Rondon (PR).


Capacidade e alvo

A   estimativa  atual  é  que  a  Indústria  Schumacher,  parceira  e desenvolvedora  do  projeto,  tenha  a capacidade para produzir as válvulas pneumáticas  necessárias  e montar até 20 ventiladores completos por dia. A alternativa segue as diretrizes e os esforços do governo federal no combate à pandemia.

Fonte: Assessoria / Foto do aparelho em anexo. Crédito: Divulgação/PTI

Compartilhe:
LinkedIn whatsapp